A Terra é um pequeno e raro planeta que vem possibilitando a vida biológica dos seres advindos do carbono, habitado por nós, seres humanos, gerados pelo húmus e, por isso mesmo, dependemos dela! Apesar disso, infelizmente, estamos correndo o risco de sermos extintos, porque acabamos criando e aprendendo a conviver com a destruição da camada mais exterior do planeta, impermeabilizando o solo e a atmosfera, além de estimularmos o egoísmo, a violência, a competição, a desigualdade e uma infinidade de iniquidades. Com isso, somos continuamente expostos ao medo, a dor, a tristeza e acabamos nos tornando sofredores, continuamente assustados com a poluição, o aquecimento global, o risco eminente de catástrofes, gerando, em decorrência disso, a desgraça da exclusão social, racial, religiosa, cultural e, a pior de todas, a econômica. Reativa e condicionadamente, essa situação nos leva para o desconforto psíquico, o qual fomos treinados a aliviá-lo por meio do consumo exagerado de todos os tipos de coisas inúteis e de drogas, o que agrava mais ainda a situação, apesar de proporcionar sensação de anestesia momentânea. Mas, simultaneamente, um movimento silencioso, tranquilo e oculto está acontecendo, e certas pessoas estão sendo tomadas por uma dimensão mais elevada, como uma espécie de luz que as desperta e remete para um estado de amor incondicional, consigo mesmas e pelos próximos, com sentimentos de plenitude e fé! Apesar desse atual retrocesso androcêntrico, misógino, machista e territorialista, representado por lideranças de extrema direita que estão surgindo, legitima ou ilegitimamente.

ARTIGOS DESTAQUE

30/11/2021 - Saindo da floresta com Obaluaê: um resgate simbólico da saúde mental dos brasileiros em 2021

30/11/2021 - Autoconhecimento na psicologia analítica

30/11/2021 - OMULU, NOSSO CURADOR-FERIDO AFRO-BRASILEIRO

30/11/2021 - Pesquisa em psicoterapia

30/11/2021 - Diálogo entre cosmovisões: como a psicologia junguiana se aproxima de alguns povos indígenas.

30/11/2021 - Influência da vida dos pais em seus filhos

30/11/2021 - O Nascimento de Oxaguiã, enantiodromia e função transcendente

30/11/2021 - Carta ao objeto de amor perdido*

30/11/2021 - IMPORTÂNCIA DO SONHO NO SETTING TERAPÊUTICO – RELATO DE UM CASO

30/11/2021 - A mentira que falta à verdade: a tensão criativa entre Hermes e Apolo.

16/11/2021 - Sentido para a vida após a aposentadoria

10/11/2021 - Corpo vivo em movimento

10/11/2021 - O Masculino: Integração Criativa dos Arquétipos

10/11/2021 - Preconceitos projetivos de cada dia

10/11/2021 - Porque a arteterapia cura #3 A Superfície

10/11/2021 - ENCONTROS E DESENCONTROS DO MESTRE E SEUS DISCÍPULOS: DOS PROFESSORES E SEUS ALUNOS.

28/10/2021 - DRAG QUEENS, FEMININO E OS GAYS

26/10/2021 - Algumas lições do Día de Muertos, Patrimônio da Humanidade

25/10/2021 - Autismo e a mãe do autista: muito além do complexo

22/10/2021 - (DES)CONEXÃO COM A CORPOREIDADE: UM REFLEXO DO NARCISISMO CONTEMPORÂNEO?

20/10/2021 - O MITO DE HEBE E SUAS REVERBERAÇÕES NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

20/10/2021 - AS OBRAS ARTÍSTICAS DE C.G. JUNG

28/10/2021 - Crise da Meia Idade: Mito ou Verdade?

20/10/2021 - UMA ABORDAGEM ANALÍTICA DA DERMATITE ATÓPICA NO BEBÊ

20/10/2021 - A Psicologia Analítica no tratamento da Dependência Química.

20/10/2021 - Uma experiência de pandemia: da farra dos complexos ao silêncio criativo

20/10/2021 - DORAMAS E A EXPRESSÃO DAS EMOÇÕES

20/10/2021 - REDESCOBRINDO A CORPORALIDADE

11/10/2021 - A GRANDE MÃE BRASILEIRA, APARECIDA

07/10/2021 - De Coré a Perséfone: O voo da borboleta

07/10/2021 - A Queda como Tomada de Consciência

07/10/2021 - Porque a arteterapia cura #2 A Linha

02/10/2021 - MEDO COMO INSTRUMENTO DE REALIZAÇÃO EXISTENCIAL

27/09/2021 - Terceira Idade: Vida em Transcendência

27/09/2021 - Por que as histórias nos tocam? Uma leitura simbólica do conto A Bela Adormecida

08/09/2021 - Anima e animus: somente arquétipos ou também complexos?

08/09/2021 - Os desafios da clínica junguiana diante dos grandes traumas

01/09/2021 - A arte de se relacionar com o lado ruim das coisas

01/09/2021 - Porque a arteterapia cura #O Ponto

29/08/2021 - MENOS ZEUS, MAIS NHANDERÚ: Um olhar sobre mitologia indígena brasileira

26/08/2021 - "Aquarela" nos tempos de pandemia: uma reflexão sobre o improviso no atendimento online

25/08/2021 - A humanização dos vilões

17/08/2021 - Joseph Climber, exemplo de resiliência ou teimosia?

10/08/2021 - Hikikomori – Jovens isolados em suas casas e aprisionados pelo complexo materno

06/08/2021 - Quando a positividade é tóxica?